Como funciona o Seguro de Saúde?

Os seguros de saúde são produtos de proteção que o ajudam a suportar as despesas clínicas. Cobrem, total ou parcialmente, o custo de consultas e intervenções médicas, de exames de diagnóstico e internamentos.

Há várias empresas que comercializam seguros de saúde, desde bancos a seguradoras especializadas.

Os seguros de saúde funcionam como uma alternativa ou complemento ao Sistema Nacional de Saúde (SNS), pois dão acesso privilegiado a uma rede de cuidados de saúde privados.

Se a pessoa segura receber qualquer comparticipação de um sistema de segurança social, o seguro cobre apenas a parte das despesas de saúde que não é comparticipada.

como funciona seguro saúde STARTMED

Saber como funciona o seguro de saúde não é muito difícil, mas requer algum estudo da apólice e de todas as alíneas que lá estão. 

É importante que saiba em que situações tem direito a apoio, mas também em que situações não pode contar com ele.

Quais as coberturas mais frequentes?

Existem vários tipos de coberturas possíveis nos seguros de saúde. Entre as coberturas mais procuradas estão as consultas médicas de especialidade, os internamentos, a odontologia, as próteses e ortóteses e o parto.

Quanto mais abrangentes forem, mais caro fica o prémio, mas também maior é a segurança dos beneficiários. Por exemplo, para poder adquirir, óculos e lentes e aparelhos dentários, vai precisar dos serviços de oftalmologia e de estomatologia, então é importante garantir que a sua apólice inclui as coberturas de próteses e ortóteses.

Como funcionam os pagamentos?

Os beneficiários de seguros de saúde podem beneficiar de 2 formas de pagamento, copagamento ou reembolso:

  • Se o beneficiário for ao médico e só pagar uma parte do valor do ato médico, sendo o restante valor pago mais tarde entre a instituição e a seguradora, o beneficiário faz um copagamento.
  • Se o beneficiário paga a totalidade do ato médico, depois deve enviar a fatura à seguradora para receber o reembolso da parte comparticipada, ou seja da parte que a seguradora assume.

Se a pessoa segura receber qualquer comparticipação de um sistema de segurança social, o seguro cobre apenas a parte das despesas de saúde que não é comparticipada. Também as taxas moderadoras podem ser submetidas a reembolso do seu seguro de saúde.

Para saber se vai ter direito copagamento ou se vai ter de esperar pelo reembolso, contacte a entidade prestadora de serviços de saúde para saber se faz parte da rede convencionada da sua seguradora.

Copagamento

É o pagamento que faz no ato médico e que corresponde à percentagem do custo do ato médico que ficará a seu cargo. A outra parte do custo é suportada pela seguradora.

Reembolso

Pode haver situações em que terá de pagar a totalidade do valor da consulta ou tratamento. Se estiver a usar os serviços fora da rede convencionada de prestadores, por exemplo. 

Nestes casos para ser ressarcido do valor que fica a cargo do seguro de saúde, deve enviar a fatura do ato médico para a seguradora e ela procederá ao seu reembolso.

O que é a franquia?

Diz respeito ao montante estabelecido numa das cláusulas de apólice e que define o valor até ao qual o beneficiário do seguro paga o ato médico. Se o valor do ato médico for superior ao da franquia, é a segurada que cobre essa despesa.

Por norma, são aplicadas franquias por ato médico, mas alguns seguros de saúde incluem apenas uma franquia anual para todas as despesas. Tenha atenção na hora de escolher um seguro de saúde.

Período de carência 

corresponde ao período de tempo entre a subscrição do seguro de saúde e o momento em que pode usar os seus serviços. Normalmente, este período de carência não se aplica a acidentes, mas apenas a doenças.

Rede convencionada de prestadores

Uma rede de hospitais, centros clínicos, médicos, centros de diagnóstico, tratamento e análise, com um acordo com a seguradora. 

Sempre que possível deve dirigir-se a uma destas entidades em caso de necessidade. Além de pagar apenas copagamento do valor do ato médico, as formalidades administrativas serão mais rápidas e reduzidas.

Ao escolher um seguro de saúde deve analisar esta rede com toda a atenção

Verifique se a sua área de residência está coberta e se tem todas as especialidades de que, eventualmente, poderá precisar.

Ambulatório 

Engloba os atos médicos que não implicam um internamento: consultas, urgências, análises, exames e fisioterapia. 

Alguns seguros limitam o número de consultas a que poderá aceder por ano. Por isso tenha atenção a este aspeto na escolha do seguro de saúde.

Hospitalização

Todos os atos médicos que requerem um internamento são considerados como hospitalização. 

O seu seguro de saúde vai permitir-lhe usar os serviços das unidades hospitalares da rede convencionada, até ao limite definido pelo capital da sua apólice. 

No caso da hospitalização ocorrer fora da rede convencionada, terá de suportar uma parte das despesas, o copagamento.

Capital seguro

Corresponde ao valor máximo que a seguradora se compromete a pagar pelos tratamentos, consultas e restantes atos médicos.

Exemplo:

Se a sua apólice tiver um capital de 20.000€ e a fatura de uma hospitalização for de 50.000€, o seguro só pagará 20.000€. Por isso, é muito importante que adapte o capital seguro às suas necessidades.

Doenças Graves

São doenças que, pelo seu risco para a saúde e qualidade de vida das pessoas e elevada taxa de prevalência, são alvo de uma proteção extra.

Segunda Opinião

Quando confrontados com um diagnóstico, que tem um impacto significativo na vida de uma pessoa segura, deveria ser confirmado por um outro médico. Assim, verifique se a sua apólice contempla uma segunda opinião por um outro especialista.

Porque contratar um Seguro de Saúde?

Mais de 3 milhões de pessoas já têm ou beneficiam de um seguro de saúde, segundo dados deste ano da Marktest.

Contratar um Seguro de Saúde constitui um importante complemento ao Serviço Nacional de Saúde.

Porque Contratar um Seguro Saúde

Complemente a sua proteção com um Seguro de Saúde.

Apesar de 60% da população estar isenta de taxas moderadoras no Serviço Nacional de Saúde (SNS), são as classes média, média baixa e baixa que mais contratam seguros de saúde, ou seja, a motivação não se prende com a poupança, mas sim com uma proteção extra.

O Seguro de Saúde permite-lhe o reembolso ou a comparticipação de despesas de saúde.

Pode ainda aceder a médicos médicos, clínicas e hospitais privados que não tenham qualquer convenção com a rede de prestadores, sendo que nesses casos, terá de pagar a totalidade da despesa e depois solicitar o reembolso dessa mesma despesa, de acordo com o as condições da sua apólice.

Esta proteção assume especial importância na altura em que estamos, sobretudo porque pode beneficiar de consultas online, ou ao domicílio, ou mesmo a entrega de medicamentos ao domicílio.

Qual a opção mais adequada para si? Depende do que pretende proteger.

Veja aqui mais informação sobre como escolher um Seguro de Saúde.

Consulte-nos sem compromisso e nós ajudamos a fazer uma análise de forma isenta e independente.

Conhece a diferença entre um Plano de Saúde e um Seguro de Saúde?

Plano de Saúde ou Seguro de Saúde. Qual o melhor para si?

A procura por seguros de saúde aumentou nos últimos meses, pelo facto de as pessoas terem procurado alternativas ao Sistema Nacional de Saúde (SNS), sobrecarregado devido à covid-19, para tratar outras doenças.

No mercado existem vários produtos, planos e seguros de saúde, que podem ajudar na sua poupança com despesas médicas.

Conhece a diferença entre um Plano de Saúde e um Seguro de Saúde?

Diferença entre Plano de Saúde e Seguro de Saúde

Vamos ver a diferença entre um Plano de Saúde e um Seguro de Saúde.

Com um Plano de Saúde o cliente, adquire um cartão que lhe dá acesso a uma rede de prestadores de serviços de saúde (médicos, clínicas e hospitais privados) a preços convencionados, ou seja, com um desconto face ao valor que pagaria se acedesse àqueles serviços sem qualquer cartão.

No Seguro de Saúde, o cliente, através de um contrato com uma seguradora, tem também acesso a uma rede de prestadores de serviços de saúde (médicos, clínicas e hospitais privados), pagando apenas uma pequena parte do custo (co-pagamento), sendo o restante custo daquele ato médico suportado pela seguradora.

No caso do seguro de saúde o cliente pode ainda aceder a médicos médicos, clínicas e hospitais privados que não tenham qualquer convenção com a rede de prestadores, sendo que nesses casos, terá de pagar a totalidade da despesa e depois solicitar o reembolso dessa mesma despesa, de acordo com o as condições da sua apólice.

Qual a opção mais adequada para si? Depende do que pretende proteger.

Veja aqui mais informação sobre como escolher um Seguro de Saúde.

Consulte-nos sem compromisso e nós ajudamos a fazer essa análise de forma isenta e independente.

10 Cuidados na escolha do seguro de saúde

Já tem propostas? Então, como escolher o seu seguro de saúde?

A oferta de seguros de saúde é grande e, para muitas pessoas, é visto como um importante complemento ao Serviço Nacional de Saúde, mas tenha atenção na hora de analisar as propostas, e veja estes 10 cuidados para ajudar na sua escolha do seu seguro.

Lembre-se que quanto mais coberturas e capital assegurado tiver no seu seguro, maior será o valor a pagar.

Como a análise de informação nem sempre é fácil, deixamos aqui alguns cuidados que deverá ter na leitura das propostas.

10-cuidados-na-escolha-do-seguro-saúde
10-cuidados-na-escolha-do-seguro-saúde

Quais são estes 10 cuidados?

  1. Defina as suas necessidades, o seu orçamento e o seu perfil (se tem filhos, se é mulher, se está grávida, a idade).
  2. Verifique se na rede de prestadores de saúde (médicos, clínicas e hospitais) estão abrangidos aqueles que pretende.
  3. Verifique as coberturas e as exclusões 
  4. Verifique as tabelas de co-pagamentos das consultas e atos médicos.
  5. Verifique as condições de reembolso fora de rede
  6. Esteja atento aos períodos de carência.
  7. Tenha atenção ao valor dos prémios e à sua evolução ao longo do tempo.
  8. Verifique as formas de pagamento.
  9. Compare propostas de diferentes seguradoras ou empresas.
  10. Antes de contratar, consulte as condições, peça mais informações e caso ainda tenha dúvidas, aconselhe-se junto de um mediador.

Lembre-se que um seguro de saúde mais barato não significa, por si só, a melhor escolha. O melhor seguro é aquele que cobre todas (ou a maior parte) das suas necessidades ao preço que pode pagar.

Se tiver dúvidas na leitura das propostas que tem ou se precisar de ajuda para a escolha e utilização de um seguro de saúde, fale connosco, nós podemos ajudar.

Aproveite e veja também este artigo como escolher o seguro de saúde mais adequado para si.

Medicina dentária no seu seguro de saúde – 6 Razões para incluir esta cobertura

Seguro Saúde 6 razões para Medicina Dentária

Porque deve ter a medicina dentária no seu seguro?

Os cuidados regulares com a sua saúde oral são fundamentais para se alcançar uma boa qualidade de vida, beneficiam a sua saúde geral e até a sua carteira. Inclua a medicina dentária no seu seguro de saúde

Apresentamos 6 razões para incluir esta cobertura:

  1. Alguns comportamentos, como o consumo de açúcares, de tabaco ou uma higiene oral deficiente, aumentam o risco de cáries e da formação do tártaro e da placa bacteriana. A higiene oral não é suficiente para remover estes problemas, sendo necessárias intervenções de um médico dentista.
  2. Uma visita regular ao dentista também serve para avaliar sinais precoces de cancro oral, diabetes ou o défice de alguma vitamina cuja falta deve ser compensada. Lembre-se, quanto mais cedo for feito o diagnóstico destes problemas, mais eficaz será o tratamento.
  3. Um acompanhamento médico regular impede que os seus dentes se deteriorem e isso reflete-se na sua saúde e na sua carteira. As consultas regulares e os tratamentos de rotina saem mais baratos do que uma intervenção de emergência a uma infeção ou outro problema mais grave.
  4. Os atos médicos mais frequentes, como as consultas, exames e extrações simples são muitas vezes gratuitos. E nalguns seguros se incluir os seus filhos, não pagará pelas aplicações de flúor ou os selamentos dos dentes.
  5. Na gravidez, uma simples cárie, pode causar dano ao bebé se os microorganismos responsáveis infetarem o feto. Também se a grávida tiver uma dor de dentes muito forte, o dentista saberá indicar os medicamentos são mais aconselháveis.
  6. Ter o devido acompanhamento dentário e poder sorrir com toda a integridade dos dentes, fortalece a auto-estima e melhora a qualidade de vida.

Verifique com o seu seguro se tem esta cobertura.

Se tiver dúvidas na escolha e utilização de um seguro de saúde, fale connosco, podemos ajudar.

Aproveite e veja como escolher o seguro de saúde mais adequado para si.

 

 

 

E lembre-se …. sorria 🙂